terça, 24 abril 2018
Imagem topo

Palavra de Deus

  • Edição de 20 de abril de 2018

    POR: Manuel Venade Martins (pastor)

    www.igrejaemanuel.org

     

    E, pondo-se a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele, e lhe perguntou: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus. Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás: não matarás; não furtarás; não dirás falsos testemunhos; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe. Ele, porem, respondendo, lhe disse. Mestre tudo isso guardei desde a minha mocidade. (Marcos 10:17-20)

    INTRODUÇÃO

    Há muita gente insegura, no respeitante ao seu lugar na eternidade, muitos creem que morrendo tudo acaba, outros pensam que não são assim tão pecadores, e por conseguinte merecem esse lugar, outros creem que sua religião os absorve dos seus pecados, etc.
    Não foi isso o que o Senhor Jesus disse, no sermão da montanha, conforme se lê: Entrai pela porta estreita; Porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. (Mateus 7:13) Estas Escrituras contrariam todos os pensamentos das pessoas que se justificam a si mesmo não tanto transgressoras, e se consideram religiosas, e por conseguinte, não merecem serem separadas do reino de Deus, da própria salvação. Assim como o avião para sobrevoar necessita do piloto, também toda a criatura necessite do Senhor Jesus para se salvar. Mas todo aquele que teimar escolher viver sem Deus, lembre-se que está caminhando no caminho largo, que o levará ao reino das trevas. Não se deixe confundir cristianismo com cristandade.

    COMENTÁRIO
    CRISTIANISMO, NÃO CONFUNDIR

    Se nós estivéssemos no lugar desse jovem rico, nós teríamos posto os nossos joelhos no chão e perguntado a Jesus: - Bom Mestre, que farei para viver cristãmente, e segundo a tua Palavra? É possível que o tivéssemos feito, em cada um de nós existe, sem dúvida, o desejo de aperfeiçoar a nossa vida cristã. A primeira lição, pois, que tiramos desta narrativa sobre o jovem rico, resume-se numa só palavra: Sou pecador, deixemos de lado todos os defeitos que o jovem rico devia ter, não nos esqueçamos que também nós temos muitos defeitos. O que é certo é que aquele jovem era sincero quando fez a pergunta a Jesus, a prova da sua sinceridade está no facto de ele se ajoelhar diante de Cristo. Ele sabia que Jesus podia dar-lhe uma resposta segura que satisfizesse os seus anseios de ser salvo. Por essa razão, faz a sua pergunta a Jesus com inteira sinceridade, em busca de uma resposta valiosa, fosse ela qual fosse, o jovem rico notou que tinha fome e sede de Deus.
    À luz deste primeiro ensinamento, analisemos a nossa própria vida espiritual. Temos nós fome e sede de Deus? Aprendamos a ser sinceros na nossa vida cristã. Deixemos os gestos falsos, e a religiosidade fingida. Poderemos enganar alguém, mas jamais enganaremos a Deus, demos à nossa vida um aspeto de tal sinceridade que leve os que nos rodeiam a dizer: - Conhece-se que este homem buscou a Deus, e serve-O. Um outro ensinamento desta passagem bíblica encontramo-lo nas palavras de Jesus Cristo, quando o rico nobre mancebo lhe perguntou o que devia fazer para alcançar a vida eterna, para viver cristãmente. Jesus respondeu-lhe com outra pergunta: -Sabes os mandamentos? E, como resposta, o jovem disse o seguinte ao Salvador: Mestre, tudo isso tenho feito desde a minha mocidade. Então Jesus, olhando-o, sentiu amor por ele e disse-lhe: Uma coisa te falta. Vai, vende tudo quanto tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; e vem e segue-me. (Marcos 10:17)
    Nós correremos o mesmo risco que correu este jovem. Se possivelmente cremos que vivendo uma simples vida reta, sem matar nem roubar, é mais que suficiente para ser salvo e ter um tesouro no Céu. Nós não roubamos nada a ninguém, não temos adulterado, não levantamos falso testemunho, honramos aos nossos pais, enfim, vivemos reta e dignamente. No entanto, alguma coisa há de faltar-nos. A verdade é que sempre nos falta algo! O não seguir ao Senhor Jesus bem de perto. Aí está o grande obstáculo que afasta de Deus não somente aquele angustiado jovem rico, que tinha o seu desmedido amor às riquezas. O mesmo pode estar acontecendo com alguém que lê este artigo, sendo os seus bens materiais um grande obstáculo, para seguir a Jesus. Por isso apelamos, que nos falta? O que estará embaraçando ou confundindo a sua caminhada perto de Cristo?
    Talvez Jesus te esteja a dizer. Deixa esse teu pecado e vem, segue-me, deixa esses teus prazeres mundanos e vem, segue-me: Sim, meus amigos, jovens e adultos, novos e velhos. Que nos falta para seguir a Jesus? O amor ao dinheiro será o seu pecado dominante, será o ídolo que o escraviza e afasta de Jesus? Hoje como ontem, muitos há que estão prontos, a abandonar tudo mas exceto algum pecado, e, por causa desse pecado que lhes dá prazer, correm o risco de se perderem eternamente.
    Se somos cristãos verdadeiros e fieis testemunhas do Senhor Jesus, temos de abandonar tudo com alegria, até certas pessoas que nos querem embaraçar o caminho para Deus. Porque trata-se da vida eterna. Faremos como os apóstolos. Eles deixaram tudo para seguir o Mestre.
    Abandonemos tudo quanto possa impedir-nos de seguir o nosso Salvador.

logo branco

Quinzenário do concelho de Vila Nova de Cerveira. Medalha de mérito concelhio.

geral@cerveiranova.pt
Telefone: +351 251 794 762

radio cultural de cerveira

Subscreva a nossa newsletter e receba as nossas novidades em primeira mão.