quarta, 21 novembro 2018
Imagem topo

Palavra de Deus

  • Edição de 20 de novembro de 2018

    POR: Manuel Venade Martins (pastor)

    www.igrejaemanuel.org

     

    Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele (João 3:16-17).

    INTRODUÇÃO

    A respeito do amor, o salmista diz assim: Amo ao Senhor porque Ele ouviu a minha voz, e a minha súplica. Porque inclinou para mim os seus ouvidos; portanto invocá-lo-ei enquanto viver (Salmo 116:1-2).

    Que poderosa palavra da parte do Senhor para nós! Que nesta vida nós possamos encontrar fé, em situações difíceis como uma enfermidade, falta de recursos financeiros, ou uma perda familiar. Nestas circunstâncias devemos olhar o que Deus pode e poderá fazer por nós, que pode surgir de momento e o dia de amanhã, só o Senhor sabe, mas os nossos olhos devem estar postos no Senhor e na sua Palavra, para quando nos apercebermos da proximidade do mal que se aproxima, devemos colocar-nos no Altar do Deus Vivo, com as nossas súplicas, perante o Mestre, até nos conceder a nossa petição.

    Porque situações surgem em nossas vidas, que só há um que nos pode valer, no momento em que nos possa acontecer, e até situações difíceis. Ele ouvirá a nossa voz e dará ordens aos seus anjos para nos socorrerem, e o milagre acontece. Por conseguinte todo que lê este artigo, deve voltar para os Caminhos de Deus, a tempo de o achar, começando a levar em conta, que lhe será bom, seguir a Deus, enquanto há tempo e amando-o de todo o coração. Amém!

    COMENTÁRIO
    O AMOR DO CRIADOR

    Aquilo que mais fere o coração, é a falta de correspondência ao amor que é devotado a outrem. Analisemos e vejamos se não é assim: Alguém amando apaixonadamente a seus pais, ou a seus filhos, à esposa ou vice-versa, a amigos ou a irmãos de sangue, e não ser correspondido, como isso traz tristeza e amargura de alma. Pode não diminuir o amor, mas fere o coração do quem ama.

    Que resultado tirou Deus desta prova do seu amor? Jesus, (Deus) veio para os seus, (Israel) e os seus não O receberam (João 1:11). Rejeitaram assim o amor de Deus, ao rejeitarem Jesus. Se este facto visto em relação a outra pessoa não te diz nada, identifica-te com ela, põe-te no seu lugar. Como reagirias ao visitares alguém a quem muito amaste e te fechasse a porta na cara? Dirias amor não correspondido. Que tristeza! Para além de O rejeitarem, aborreciam-no, não querendo o seu governo (Jesus).

    Jesus ao contar a parábola dos dez servos e das dez minas, disse (Jesus) que os concidadãos odiavam-no e mandaram dizer-lhe que não queriam que Ele reinasse sobre eles (Lucas 19:14).

    Ora este homem, é uma das muitas figuras ou tipos de Jesus. Foi o que aconteceu, e, é o que está acontecendo nos nossos dias; os homens não querem o jugo de Jesus, desprezam o seu governo. Cada um procura colocar-se num pedestal, chamando a si as atenções das multidões. E isto se verifica, não só no mundo da política, mas também no mundo religioso e, mais grave ainda, é ser entre os que se dizem cristãos ou que frequentam igrejas.

    Quando Jesus tomou forma humana, ao nascer de Maria, relata-nos o Evangelho, que teve de nascer numa estrebaria, por não haver lugar na estalagem (Lucas 2:7) ninguém correspondeu com um pouco de amor em ceder-lhe um lugar dos muitos que havia; pensavam em si unicamente. No seu bem-estar e no seu conforto.

    O que temos visto através dos séculos, mas, o que estamos vendo nos nossos dias? Há tempo para tudo, lugar para tudo, menos para o Senhor. Ninguém se prontifica a ceder o seu tempo, os seus haveres, a sua vida, para dar lugar ao Senhor. Ele, o Príncipe da paz, fica de fora. Nada queremos com o Emanuel de Deus. Não estamos interessados em saber o que a Bíblia nos diz! E não O receberam, porque O aborreciam, e não lhe deram lugar, nem ouvir a sua palavra, sendo ainda pior, desprezaram-No.

    O profeta Isaías sete séculos antes, falando acerca de Jesus, dizia: Era desprezado, e rejeitado dos homens, homem de dores, etc. (Isaías 53:3). Que maior dor causa no coração do que ama? Uma falta de correspondência ao seu amor? Se nos homens pecadores, falíveis, nos sentimos quando somos ofendidos pela ingratidão dos que amamos, quanto mais o Senhor Jesus que por amor de nós se fez pecado, morrendo, Ele o justo pelos nossos pecados.

    Deus prova o seu amor para connosco (Romanos 5:8). Mas, em compensação, o homem despreza-o, e se amesquinha, esquecendo-se que terá de comparecer perante Ele no dia do julgamento (2.ª Coríntios 5:10). Desprezar o chamado de Deus, é a pior ofensa que se pode cometer para o Senhor, que deu a sua vida naquela cruenta cruz no calvário, demonstrando assim o seu grande amor por nós.

    Como se não bastasse tudo quanto já foi dito, ainda os homens caíram na baixeza da blasfémia. Foi precisamente na hora da cruz, aquando Jesus estava provando o seu Grande Amor, que os homens passando blasfemavam d’Ele (Mateus 27:39).

    Agora, prezado leitor, Qual a tua posição em relação a Jesus e ao Seu Amor manifesto e provado na cruz? Que lado está tomando? Provera a Deus que neste momento tu lhe correspondas com o teu fraco mas sincero amor, e possas dizer como o apóstolo João: Nós amamos a Deus, porque Ele nos amou primeiro (1.ª João 4:19).

logo branco

Quinzenário do concelho de Vila Nova de Cerveira. Medalha de mérito concelhio.

geral@cerveiranova.pt
Telefone: +351 251 794 762

radio cultural de cerveira

Subscreva a nossa newsletter e receba as nossas novidades em primeira mão.